5 documentários de moda para você ver já

Quer melhorar o seu repertório sobre o universo fashion and adquirir referências espertas para conversar sobre o assunto? Então, consulte a nossa lista, prepare a pipoca e aperte o play!

 
Franca: Chaos and Creation (Foto: Divulgação)
 

1. Franca – Chaos and Creation (2016)

O documentário que conta a história da trajetória de Franca Sozzani, diretora da Vogue Itália por 28 anos e uma das mais importantes personagens do jornalismo de moda, é quase um soco no estômago – que carreira teve essa mulher! O longa é dirigido por seu filho Francesco Carrozzini (que, vale lembrar, está noivo de Bee Shaffer, filha de Anna Wintour) e alterna alguns bate-papos dos dois, num momento bem legal de mãe e filho tipo-gente-como-a-gente, com depoimentos de personagens mega ultra importantes como Karl Lagerfeld e Valentino e passagens de trabalhos feitos na revista. Em meio a uma chuva de frases de efeito (“Uma foto saiu mal? Paciência. Um casamento saiu mal? Paciência. O segundo casamento saiu mal? Paciência” e “Não seja sovina com seus sonhos, sonhos devem ser grandiosos”) Franca dá uma aula de jornalismo de moda – informação, pioneirismo, gestão e imagem. Ela, por exemplo, dedicou uma edição inteira da revista à violência contra a mulher, lá em 2014. É must-see!

 

Lagerfeld Confidentiel (Foto: Divulgação)

 

2. Lagerfeld Confidential (2007)

É para entender o dia-a-dia do kaiser mais famoso da moda – diretor criativo da Chanel e da Fendi, criador absoluto de hits fashion. Como vive Karl Lagerfeld? Quais são suas inspirações? Seus hábitos, seus amantes? Brincadeiras a parte, o doc é um compilado de três anos de filmagens sobre a vida do estilista – desde seu caótico apartamento em Paris, até os bastidores de grandes desfiles, passando ainda por alguns episódios de  sua infância na Alemanha. Keeping Up With the Lagerfelds, alô?

Dior and I (Foto: Divulgação)

 

3. Dior And I (2014)

Apesar de Raf Simons já ter deixado a direção criativa da maison (agora ele toca a Calvin Klein) o filme vale pelo deslumbramento de conhecer a rotina (estressante) de quem trabalha em uma das marcas de luxo mais importantes do mundo. Além de mostrar o estranhamento de Raf, conhecido por seu perfil minimalista, ao chegar em uma empresa de alma totalmente romântica e feminina, o “Dior and I” traz depoimentos de pessoas tão responsáveis quanto o designer pelas criações que ganham as ruas mundo afora – leia-se costureiras e textil makers. São relatos e imagens de uma história que acabou, bem estremecida, pouco tempo depois.

The September Issue (Foto: Divulgação)
 

4. The September Issue (2009)

Como nasce uma revista? E quais são os bastidores daquelas edições que mais parecem uma bíblia fashion? Hora de descobrir! O documentário revela o passo a passo da produção de uma September Issue (edição de setembro, a maior e mais importante do ano no hemisfério norte) da Vogue americana – com direito a diversas passagens com a toda poderosa Anna Wintour e sua dupla Grace Codington, diretora criativa do título. Como são feitos os editoriais, como é o acervo de uma revista, quem dá as cartas… está tudo ali! E afinal, a história do “Diabo Veste Prada” é real oficial? Aperte o play e descubra! PS.: A edição da revista que deu origem ao longa (setembro de 2007) pode ser encontrada online, mais por mais de cem dólares.

Cartier, La Petite Boîte Rouge (Foto: Divulgação)
 

5. Cartier, La Petite Boîte Rouge ou Cartier, a Caixinha Vermelha (2013)

Um pouco menos sobre o mundo da moda, mas muito importante para a história da joalheria. O documentário que reconta a vida da maison Cartier, fundada em 1847, é um show de poder e riqueza, com centenas de imagens de joias luxuosíssimas, pedras preciosas de quilates infinitos e takes de divas do cinema. A história é também sobre se reinventar, já que narra que para manter as portas abertas a joalheria teve que deixar um pouco de lado as peças exclusivas e carééésimas para investir em menores e em relógios. É enriquecedor, mas um pouco triste (sério!) ver a evolução do nome. E a lição aqui é sobre consumo: você sabia que as marcas de luxo sobrevivem graças às peças mais populares, joias menores, it-bags, sapatos, óculos escuros…? Irônico, de certo modo.

Fonte: Revista Glamour